quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Transhumanismo um risco não tão distante.

A filosofia transhumanista está ganhando cada vez mais espaço, principalmente dentro de universidades e centros intelectuais. Este conceito radical de mudança do ser humano implica em grandes riscos,  principalmente quando se fala de conceitos que devem modificar o entendimento do que é o ser humano. 

A aplicação dos ideais transhumanistas nos transformará em algo diferente do humano atual, seremos outra coisa, pelo menos alguns... o que potencializa o risco. Já faz algum tempo que me dedico a pesquisa dos conceitos e consequências desta corrente de pensamento. Estas idéias podem parecer ficção científica ou loucura, mas posso garantir que não é, e que cada dia estamos criando tecnologias que nos aproximam das idéias difundidas por este grupo. 

Recentemente foi criado mais um grupo de estudos sobre o transhumanismo : o Biops - British Institute Posthuman Studies - http://www.biops.co.uk/, que visa apresentar e debater os conceitos e implicações do transhumanismo. 

Outro site, que defende o transhumanismo, é o 2045.com. 

Há outras várias iniciativas para o estudo do transhumanismo e para sua implantação, inclusive envolvendo empresas de grande porte e, claro muitas grandes corporações que trabalham com a internet.

Os ideais transhumanistas mexem profundamente com conceitos filosóficos, teológicos e religiosos. A grande maioria das pessoas não entendem os graves riscos que existem nestas idéias. 

Se você ou sua instituição desejam conhecer mais sobre este assunto entre em contato para agendar uma palestra. 




quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Superficialidade dos fatos....


Esta semana foi amplamente noticiado a tragédia que vitimou o repórter cinematográfico Santiago Andrade. O acontecimento repercutiu em âmbito nacional, e é profundamente lamentável que este fato tenha ocorrido. 

Mas o que gostaria de analisar brevemente é a amplitude que este evento tomou. Novamente me coloco do lado daqueles que lamentam o ocorrido e solidarizam-se com a família do repórter, todos devemos sim, nos revoltar com o ocorrido neste triste acidente. Digo acidente porque penso que é o que possivelmente devem alegar os advogados dos dois rapazes, não havia intenção de matar ninguém, e acredito realmente nisto, não penso que o rapaz que levou o rojão tivesse especificamente com o intuito de matar alguém naquela manifestação, tampouco penso que esta era a intenção do rapaz que acendeu o dito objeto. 

É claro que ambos, tanto o rapaz que levou o foguete quanto o outro que acendeu-o assumiram o risco de eventualmente causarem danos em alguém ou até em uma situação extrema levar a morte. E não é isso que ocorre todos os dias com motoristas embriagados que matam centenas, ousaria dizer até milhares, de pessoas todos os anos no Brasil? 

Também assumem o risco de matar, diria um risco muito maior do que de um rojão, e matam famílias inteiras.... E tomamos ciência destes acontecimento em alguns minutos em um noticiário, e não raramente o causador do acidente responde em liberdade e em muitas situações sequer chega a ser responsabilizado.... Os dois rapazes que cometeram esta atrocidade foram presos de forma extremamente rápida pela nossa polícia, chegaram aos dois em questão de dias, a mídia eficazmente ajudou na identificação dos mesmos e, após localizados já foram colocados no sistema presidiário.  

Penso que esta ação rápida e eficiente da polícia e da mídia servirá para desencorajar outros manifestantes de assumirem o risco de levarem tais artefatos em manifestações públicas. 

Será que se, para todos os outros crimes e delitos houvesse tamanha eficiência policial e midiática não teríamos menos assassinatos por bêbados no volante e outros tipos de crimes? 

Aliás outro rapaz foi morto por policiais na favela porque confundiram uma peça de moto que ele levava com um fuzil....Mas este fato não mereceu mais que 30 segundos de noticiário....

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Natureza e Responsabilidade....

Quanto mais nos afastamos da natureza, menos respeito temos por ela.... Nesta sociedade extremamente urbana e tecnológica o contato com a natureza é quase uma experiência de completa alienação...Quantas crianças viram uma vaca? O leite é tirado diretamente das caixinhas.... é de onde vem o leite...claro que com o passar do tempo a criança vai entender que o leite vem da vaca.... mas mesmo assim este será um ser exótico e desconhecido....e de pouca importância ela ( a vaca) já foi desconstruída....e com alimentação cada vez mais industrializadas e menos naturais, esquecemos que somos dependentes da natureza, é graças a ela que estamos vivos. A mãe natureza agora está em um distante asilo, em que as vezes a visitamos no formato de parques, mas não ouvimos a sua voz, não olhamos o seu rosto e não sentimos seu perfume, vamos devidamente aparelhados para nos isolar de seus apelos e ao irmos embora de  pouco nos lembramos dela... novamente mesmo procurando seu aconchego a usamos como fim e não como meio..... lamentável.