sábado, 25 de agosto de 2007

O risco de esquecermos da espiritualidade.

Salmos 139

Em uma sociedade tão materialista, corremos o risco de confundirmos a espiritualidade com a busca de bênçãos de Deus.

Espiritualidade não é buscar as bênçãos de Deus, essa é a maior manifestação de materialismo que podemos mostrar.

Geralmente confundimos materialismo com ateísmo, pois eu digo que há muitos ateus espiritualistas, apesar de toda a incompatibilidade destes termos, e muito cristãos extremamente materialistas, sua busca espiritual limita-se ao acesso ao sucesso material.

E nos últimos tempos estamos tão confusos que julgamos que as pessoas bem sucedidas materialmente é que são as mais próximas de Deus, ou as que nunca enfrentaram uma crise ou as que nunca passaram por uma doença...

Ultimamente estou estudando um pouco sobre o movimento Puritanista, e a sua busca por um cristianismo mais autêntico e sincero. Um cristianismo que voltasse a colocar a Jesus como padrão, e que todos pudessem entender que a maior benção a ser alcançada já era nossa, a vida eterna, a reconciliação com Deus. Talvez falta-nos um pouco deste espírito de entrega e busca por Deus.

O momento que Jô esteve mais perto de Deus foi quando ele estava passando a pior crise da sua vida, gravemente doente, empobrecido, havia perdido seus filhos, todos se voltavam para ele com um misto de piedade e desconfiança, ou seja não recebia apoio de lugar nenhum, mas foi somente após todos estes transtornos é que ele afirma que antes somente ouvira falar de Deus, mas agora meus olhos te vêem.

O que estou querendo dizer então? Que devemos viver na pobreza, sofrermos para buscar a face de Deus? Não nada disso.

O que quero dizer que a nossa sociedade não é uma sociedade cristã, não vive por parâmetros cristãos, que sistema que a domina e a rege é um sistema demoníaco em suas estruturas. É um sistema que incita a competição desenfreada, a busca incessante por dinheiro e poder, que vê o outro como um objeto é não como alguém, como um ser humano.

O que quero dizer que nós como cristãos estamos constantemente apoiando estes sistemas e incentivando e achando até justificativas bíblicas para ele.

O que quero dizer é que o que Jesus disse de Amar a Deus sobre todas as coisas e ao teu próximo como a ti mesmo é completamente incompatível com as estruturas da nossa sociedade.

O que quero dizer é que a espiritualidade é a busca por Deus. As vezes podemos tentar fugir de Deus, a nossa sociedade vive querendo fugir de Deus, e para isso criamos utopias, ou sistemas em que não necessitaríamos de Deus. Eu não canso de repetir a frase de Tolstoi : “ O ser humano tem um vazio do tamanho de Deus.”, não há como fugir de algo de que está em nós ou que nada possa preencher o nosso vazio existencial.

Introdução ao Sermão de 26/08/07

Nenhum comentário: