terça-feira, 18 de março de 2008

Para que estudar?

Projeto reconhece título de teólogo a religiosos sem formação

Dois projetos de lei em tramitação no Congresso estão causando polêmica pela liberalidade com que conferem o título de teólogo a líderes religiosos. Para ser teólogo, bastaria "praticar vida contemplativa" ou "realizar ação social na comunidade", por exemplo. (lei o restante no Estadão )

Parece que a Universal não quer somente relativizar o Cristianismo através das sua cosmovisão, mas destruir qualquer forma mais elaborada de pensamento cristão.

Infelizmente o Brasil é carente de bons pensadores cristãos, não são muitos os que se dedicam a pesquisar, estudar o cristianismo apresentando para a sociedade uma contribuição relevante nas questões éticas e sociais, imaginem a quantidade de "teólogos" falando asneira se essa lei for aprovada.... Se isso acontecer rasgo meu diploma no outro dia e não deixo ninguém mais saber que sou formado em teologia.

O pior é passar 4 anos em um seminário, lêr milhares de páginas de livros, escrever centenas de páginas de trabalhos e pesquisas, passar dois anos queimando a pestana em uma monografia, gastar uma pequena fortuna em livros, manter-me atualizado comprando revistas e jornais, sem contar cursos, palestras etc, etc... sendo que bastaria passar 5 anos em uma igreja apoiando o pastor....

Nada contra todos que fazem um trabalho na igreja, também os faço, não me julgo melhor cristão do que o meu irmão que fica na porta da igreja recebendo todos com muita alegria e amor, mas cada um exerce uma função e é chamada para isso.

Meu chamado é para o estudo sistemático e abrangente das escrituras, da mensagem cristã, para isso me preparo constantemente para isso me formei em teologia, para apresentar a mensagem cristã contextualizada e relevante como ela é.

Para isso ainda estou tentando ser TEÓLOGO.

segunda-feira, 10 de março de 2008

Deus, Um delirio.


Comecei a ler na semana passada o livro ao lado de Richard Dawkins, ainda estou na pg. 135, mas já nota-se que como todo bom ateu Dawkins é extremamente ácido em suas críticas... mas também como a maioria dos ateus ele fundamenta suas criticas mais nas estruturas e ações das religiões e seus seguidores do que provando a inexistência de Deus.
Há muitas análises, inclusive sobe a religião, superficiais e carentes de uma visão mais imparcial. Porém infelizmente em alguns pontos sou obrigado a concordar com o autor, principalmente com relação ao comportamento dos cristãos e das estruturas do poder que a religião/igrejas modernas acabam exercendo... e que é mais triste não é a constatação destes problemas, mas que poucas ou quase nenhuma voz de "dentro" da igreja se levante para apontá-las.
Bem estas são as primeiras impressões do livro, ainda é uma análise superficial, quando tiver lido mais coloco outras observações mais relevantes.

sábado, 8 de março de 2008

Filmes

Filmes que assisti esse ano e recomendo....

  • Batismo de sangue
  • O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias
  • A vida dos outros
  • O Caçador de Pipas