sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Pátria amada... será?


Cunha está apostando todas as fichas em uma manobra que tem o único objetivo tirar o foco sobre as investigações do dinheiro que ele tem em contas no exterior. Uma ação democrática não deveria ter como principal objetivo interesses pessoais, e, é claro que ele tomou esta decisão após reunir-se com seus afiliados e opositores ao governo atual. Pois bem, com certeza há um acordo costurado para ele dar continuidade ao processo de impeachment, como não conseguiu o que queria com o Governo, negociou sua cartada com a oposição. Citando Machiavel, será que os fins justificam os meios? Ou será que fazendo as concessões que estão sendo feitas não seria a mesma coisa que tentar vencer o demônio vendendo a alma para satanás? Quem corre maior risco neste jogo todo é o processo democrático e o Estado de Direito, que se façam as investigações necessárias para se provar que houve ilegitimidade da eleição da Dilma, que se apresente as evidências e pronto. Mas da forma como está sendo feito, tudo indica apenas um complexo jogo de interesses e estes interesses não tem nada haver com os da nação, ao contrário atende a lobbies e indivíduos profundamente articulados e que fazem parte daqueles que estão destruindo a nação e com as possibilidades de desenvolvimento das gerações futuras que por ventura ou desventura nascerem neste solo. Mais de 500 anos de colonialismo e continuamos sendo explorados, apenas mudaram os senhores....Mas os sonhos deles continuam os mesmos : explorar o máximo possível destas terras inóspitas e voltar com as burras cheias para a Europa lugar de gente bonita e civilizada.....O problema do nosso país é a falta de um projeto de nação....

Nenhum comentário: