domingo, 26 de outubro de 2008

Perguntas......

A grande questão, o melhor a ultima pergunta sempre deve ser : "Estou fazendo o que é certo, ou o que é conveniente para mim?"

Está pergunta deve estar presente em nossas mentes todos os dias.

Logo depois desta pergunta vem outra : e o que é o "certo?"

Bem, muitas vezes descobrir o certo requer que eu descubra o quanto sou honesto comigo mesmo.....

sábado, 25 de outubro de 2008

Desabafo.....

Cada vez mais entendo que como cristãos devemos nos afastar do modelo econômico neoliberal. Este é um sistema exclusivista, que mede o ser humano por valores consumistas e mostrou-se, além de tudo, sujeito a ondas de instabilidade.

Mas principalmente porque creio que este modelo e seus valores são antagônicos ao cristianismo. O amor ao dinheiro é a raiz de todos os males... isto esta cada vez mais claro, era assim a mais de 2000 anos atrás e é assim hoje também.

Afirmo taxativamente, baseando-me nos ensinos de Jesus o Cristo, que a busca pela riqueza é um vício e desta forma é um pecado, no sentido de afastar-nos de Deus e de apresentar um valorização distorcida do ser humano e da vida.

Sei que muitos não vão gostar destas palavras, mas estou cansado de meias palavras, falar com cuidado para não ferir o “status quo” religioso.

A teologia da prosperidade é uma farsa e não merece ser chamada de ensino cristão, tampouco os que a pregam de seguidores do caminho. Hoje mesmo tive o desprazer de assistir parcialmente a uns três programas “evangélicos”, onde se oferecia perfume ungido para fisgar namorado, onde se ensinava a determinar e outros amuletos, mas não ouvi em nenhum momento falarem de Jesus. Gritos, palavras de ordem e sermões vazios, amuletos, compra de bênçãos, desejo de poder, e riqueza, eu pergunto qual a diferença da igreja católica da época de Lutero, para as igrejas que oferecem estas “relíquias”???

Não estou fazendo apologia a pobreza e miséria, como muitos podem afirmar, mas a volta para valores simples do cristianismo, mesmo porque o juízo sobre a nossa forma de viver está chegando, e a conta mais cara será paga pelas próximas gerações.

Nossas igrejas estão cheias de gente vazia.... o cristão está conformado a viver na mediocridade, isto é ir levando a vida. Vou ao culto no fim de semana, buscar a minha benção, e depois volto para casa sem fazer diferença nenhuma, fazemos cultos de jovens para seu entretenimento, mas não os ensinamos a fazer diferença, a terem uma posição critica, os criamos em uma bolha de vidro....

Não estou generalizando, mas a grande maioria das igrejas são assim... e eu estava sentindo necessidade de desabafar.....

domingo, 12 de outubro de 2008

Sugestão

Assisti essa semana a palestra de Franklin Leopoldo e Silva, Professor do Departamento de Filosofia da USP, intitulada : "A ética pós-moderna: o mal-estar diante da liberdade no corpo social e na alma."

A forma didática e clara que o tema é apresentado favorece a compreensão de itens fundamentais para a filosofia e para a própria teologia, tais como a questão da liberdade e a formação do ser, ou melhor adentrando na concepção do existêncialismo o vir a ser, está abordagem existencialista da realidade e suas consequências no campo da ética deveriam ser melhor trabalhadas e analisada pela teologia, todas as grandes questões tratadas na palestra e que cominam na questão do mal estar diante da liberdade e seus reflexos em nossa sociedade consumista e padronizada, podem e devem ser tratadas na perspectiva do cristianismo. Está é uma ótima área de pesquisa.

Fica a sugestão. Pessoalmente o tema chamou minha atenção, principalmente com relaçao ao vinculo da ética e da liberdade que é uma linha de pesquisa que estou começando a dedicar-me.

domingo, 5 de outubro de 2008

Ter menos....

Estamos vivendo uma época terrível. O ser humano é medido por aquilo que possui, por aquilo que consome, pelo dinheiro que tem... Isto é completamente anti-cristão, se podemos dizer que há um sistema demoníaco é o sistema econômico-financeiro em que vivemos.

Qual a resposta que podemos dar para isso? Como devemos nos posicionar como cristãos?

Ter menos, esta é a resposta. Chega de consumirmos coisas que não temos realmente necessidade, chega de termos um monte de bugigangas, chega de termos um monte de coisas inúteis, chega de trocarmos de coisas todo ano.

Chega de vivermos para termos mais coisas... Eu digo que quero ter menos coisas... Não quero ser medido pelas roupas que tenho, não quero ser medido pelo carro que tenho, nem pela casa que tenho. Não quero ser medido pelo quanto eu tenho de conhecimento, quero ser medido pelo que sou.

Como cristãos devemos tomar uma posição clara com relação aos sistemas econômicos e políticos que promovem a opressão.

O vídeo abaixo, apesar de um pouco longo, vale a pena ser assistido e devemos refletir sobre esse assunto com seriedade.



A história das coisas

Powered by ScribeFire.