quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Identificação Cristã


Romanos Capitulo 1: 1-16

O contexto de Romanos

Paulo escreveu para a Igreja de Roma, em torno de 56, 57 d C, e Roma como todos nos sabemos era uma cidade turbulenta, onde viajantes iam e viam, onde as pessoas facilmente se deixavam levar por conceitos filosóficos e religiosos com uma velocidade espantosa.
O propósito da carta de Paulo era a que ele realmente cita no seu texto, de visitar os cristãos em Roma sanar as dúvidas e diferenças e criar um laço de amor na Igreja, e seguir para evangelizar os gentios do leste

Mas para isso era necessário que a igreja tivesse certeza de quem era Paulo, era importante que a Igreja também soubesse quem ela era.

Nos vamos ver que Paulo demonstra a sua identidade cristã de 4 formas :

1 – Paulo Sabia quem ele era.

2 – Paulo Sabia quem Cristo é

3. Paulo sabia quem era a igreja e como deve ser a Igreja.

4. Paulo sabia o que Deus queria dele.

Aplicação

1. Paulo Sabia quem ele era.

1 Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus,

Paulo no inicio da carta deixa bem claro quem ele é, e deixa claro que ele sabe do sua responsabilidade no corpo de Cristo.

Ele se identifica como Servo:

doulos

1) escravo, servo, homem de condição servil

1a) um escravo

1b) metáf., alguém que se rende a vontade de outro;

Ele sabia da sua condição de servo, de que estava fazendo não a sua vontade, mas a de Cristo.

Ele sabia qual era a sua chamada no corpo de Cristo: apóstolo: um delegado, mensageiro, alguém enviado com ordens.

Separado : Ela sabia que era salvo, que tinha limites, que tinha critérios.

2. Paulo sabia quem Cristo é.

2 o qual foi por Deus, outrora, prometido por intermédio dos seus profetas nas Sagradas Escrituras,

3 com respeito a seu Filho, o qual, segundo a carne, veio da descendência de Davi 4 e foi designado Filho de Deus com poder, segundo o espírito de santidade pela ressurreição dos mortos, a saber, Jesus Cristo, nosso Senhor, 5 por intermédio de quem viemos a receber graça e apostolado por amor do seu nome, para a obediência por fé, entre todos os gentios,
6 de cujo número sois também vós, chamados para serdes de Jesus Cristo.

Paulo dá uma aula de teologia, em 5 linhas , isso demonstra a firmeza na Palavra e no conhecimento que ele tinha.

Ele afirma que Cristo foi prometido por Deus; que os profetas já falavam dele nas Sagradas Escrituras; que veio como homem, porém, que era filho de Deus, que tem poder, é santo, ressuscitou dos mortos é que é nosso Senhor.

Essa pequena aula demonstra uma fé grandiosa e um conhecimento intelectual das Escrituras muito formidável.

Hoje vemos muitas pessoas dizendo que são cristão, mas sequer conseguem falar no que crêem.

Não conhecem, e não lêem a Bíblia, mas se dizem cristas.

É uma vergonha.

Paulo sabia no que ele cria, e sabia dizer no que ele cria. Ele tinha identidade.

3. Paulo sabia quem era a igreja e como deve ser a Igreja.

7 A todos os amados de Deus, que estais em Roma, chamados para serdes santos, graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.

Paulo já começa indicando a identidade da igreja: Eles são amados de Deus: Deus tem um carinho todo especial por eles; e eles são chamados pra serem santos; a Igreja tinha que buscar a santidade, não a aparência de santos, isso não quer dizer nada, mas a pureza de coração a retidão de caráter...

Como pode uma igreja ter uma identidade se não procura a santidade; como nós como cristãos poderemos ser identificados como tais se não procuramos a santidade??

8. Primeiramente, dou graças a meu Deus, mediante Jesus Cristo, no tocante a todos vós, porque, em todo o mundo, é proclamada a vossa fé.

Aqui vemos que a igreja já pode ser identificada por um atributo : a fé.

Não pode existir um cristão sem fé. Isso é fundamental na sua identidade, a igreja deve ser o ambiente propício para o desenvolvimento da fé.

9 Porque Deus, a quem sirvo em meu espírito, no evangelho de seu Filho, é minha testemunha de como incessantemente faço menção de vós 10 em todas as minhas orações, suplicando que, nalgum tempo, pela vontade de Deus, se me ofereça boa ocasião de visitar-vos.

A preocupação com a igreja, Paulo diz que cita a igreja como exemplo, e como ele dedica tempo com suas orações e no desejo de conhece-los.

Essa união, esse importar-se constantemente um com os outros imprime cada vez mais forte em nos a marca de Cristo. Como posso não me importar em como está indo a Igreja?

Como posso não saber se ela está passando por alguma dificuldade?


11 Porque muito desejo ver-vos, a fim de repartir convosco algum dom espiritual, para que sejais confirmados, 12 isto é, para que, em vossa companhia, reciprocamente nos confortemos por intermédio da fé mútua, vossa e minha.

A preocupação com o crescimento do corpo de Cristo. Paulo sabia que ele não ia somente para a igreja para dar, ele recebia; um membro não pode somente ser alimentado e servido enquanto outro somente da de comer e serve... A igreja é uma troca, um relacionamento entre os dons e ministérios de cada um.
Paulo diz que quer confortar e ser confortado.

4. Paulo sabia o que Deus queria dele.

13 Porque não quero, irmãos, que ignoreis que, muitas vezes, me propus ir ter convosco (no que tenho sido, até agora, impedido), para conseguir igualmente entre vós algum fruto, como também entre os outros gentios.
Paulo sabia da sua missão, daquilo que Deus tinha incumbido ele, e fazia todo o esforço possível para realizar o que estava sendo pedido dele.

O que Deus quer de você?
14 Pois sou devedor tanto a gregos como a bárbaros, tanto a sábios como a ignorantes;

15 por isso, quanto está em mim, estou pronto a anunciar o evangelho também a vós outros, em Roma.

Humildade

16 Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego; 17 visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé.

Por fim o carimbo final na identidade de Paulo, ele anunciava o evangelho, não tinha vergonha, conhecia a justiça de Deus.

Quantos vêm para a igreja com a Bíblia escondida? Para que ninguém na rua veja que ele é cristão...

E como não poderia deixar de ser a fé.

Nenhum comentário: