sábado, 29 de maio de 2010

Estudos em Bioética.

Estou trabalhando, em praticamente todos os meus horários livres no meu trabalho de conclusão da especialização em psicoteologia e bioética, motivo pelo qual não estou postando com muita regularidade.... Aproveito então e para postar a introdução do artigo que estou elaborando e deixo no final uma lista de livros muito interessantes na área de bioética. 


A sua imagem e semelhança.
O inicio da vida e o aborto, reflexões para uma bioética cristã.


 
"O zigoto é um individuo humano atual e não simplesmente em potencial,  do mesmo modo uma criança é uma pessoa humana com potencial para desenvolver a maturidade."
                                              Kurjak, MD, PhD
Medical School Universit of Zagreb, Sveti Duth Hospital, Croatia.


Começamos este artigo com uma afirmação contundente: Não há duvidas que a nossa cosmovisão influencia nossas atitudes e ações éticas.

Esta afirmação em si já é um problema , uma vez que culturas diferentes possuem um olhar diferente para seus problemas. Desta forma não podemos  compreender uma construção de uma bioética universal,  a não ser que tenhamos apenas um cosmovisão universal e apenas uma forma de pensar. Isto  parece algo extremamente ruim e conflitante. Porém entendemos que devem haver “mínimos” éticos universalistas, a partir do qual podemos dialogar em sentidos convergentes. A dignidade da pessoa humana, a princípio, deveria ser um destes mínimos éticos. 

Claro que não podemos impor uma bioética que seja baseada apenas em uma cosmovisão do mundo, i.e., impor à sociedade em geral uma bioética cristã. A formação de uma declaração de bioética que se baseia em princípios cristãos deve tentar ser o mais universalista possível na discrição de suas definições apelando para o dogma apenas quando os demais recursos argumentativos estejam findos e o dogma seja então o ultimo recurso da defesa do próprio dogma. Mas devemos lembrar sempre que ela é em primeiro plano uma bioética cristã e em primeiro lugar  direcionado à orientação daquele que advoga a fé cristã.

Atualmente um dos grandes problemas na bioética é a tentativa de separar o processo biológico inicial da formação do feto de algo entendido como pessoa humana, de tal  forma  que, ao tentarmos conceituar o que é pessoa pode-se prolongar o período de aceitação do aborto.

Assim fazemos também diferenciação entre o ser humano (entidade biológica) da pessoa humana um com mais valor do que o outro, o que pode incorrer em diferenciações posteriores ao nascimento, o que poderia fazer com que critérios fossem utilizados para identificar o que seria um ser humano, enquanto pessoa e o que seria o animal humano, não dotado de dignidade de pessoa.

Mas se há de fato esta diferenciação qual o é? O ser humano não é um ser em processo de humanização? Ou de tornar-se pessoa no decorrer de sua vida? Ou podemos entender que há um ponto de diferenciação? Podemos afirmar que este apresente um maior valor que o ser humano? Dai podemos fazer uma escala de valorização?

Não há pretensão de se impor uma abordagem ética à toda a sociedade, baseada em precipícios religiosos de um grupo. Sabemos que esta forma de imposição não funciona, mas o que pretendemos é aprofundar o entendimento sobre o tema baseado na perspectiva cristã para um diálogo com as demais perspectivas e principalmente como fator orientativo para os cristãos e quem desejar uma opinião evangélica sobre o assunto, como salienta o texto do volume 15 da revista Bioética & debate - TRIBUNA ABIERTA DEL INSTITUT BORJA DE BIOÈTICA[1]

"En una sociedad plural, no se puede imponer una ética de máximos para todos, sino que se deben buscar unos mínimos éticos compartidos que garanticen la convivencia."

Porém sabemos também que a busca por uma bioética secular universal não chegou até o momento a um bom termo, como nos indica Engelhardt 2:

“”Malogrando o projeto de formar uma moralidade secular geral, sem compromisso com uma visão moral particular, o moderno projeto filosófico de justificar uma bioética secular fracassa. Aqueles que procuravam orientação a partir da moralidade secular seriam relegados ao niilismo e ao relativismo não-qualificado.”




[1] Bioética & Debate ,Volume15, nr57-Considerasiones sobre el  embrion humano  pg 2, http://www.bioeticaefecrista.med.br/textos/consideraciones%20sobre%20el%20embrion%20humano.pdf
[2]  Fundamentos da Bioética, H. Tristaram Engelhardet, Jr. Pg 15

--------------------------------------------------------------------------
Livros que estou utilizando :

Ética Prática - Peter Singer
Fundamentos da Bioética - Engelhardt
Fundamentos da Bioética Cristã Ortodoxa - Engelhardt
Bioética, Pessoa e Vida - Dalton Luiz de Paula Ramos (org.)
Bioética como novo paradigma -  Marcelo Pelizzoli (org.)
Buscar Sentido e Plenitude de Vida - Léo Pessini & Christian de P. de Barchifontaine (Org.)
Bioética, o que é, como se faz - Fernando Lolas.
Biotecnologia e Bioética, Para onde vamos? - Antônio Moser.
Para conhecer a Ética Cristã - Marciano Vidal.
Ética pós-moderna - Zygmunt Bauman
Fundamentos da Bioética - Léo Pessini & Christian de P. de Barchifontaine (Org.)
Bioética, cuidar da vida e do meio ambiente - Leomar Antônio Brustolin (Org.)

Bioética - Hermenêutica e casuística - José R. Junges

Bioética: avanços e dilemas numa ótica interdisciplinar - Lothar C. Hoch e Karin Wondracek (Orgs.)

Bioética: Ciência e transcendência, uma perspectiva teológica- Mário Antonio Sanches

Introdução geral à bioética: história, conceitos e instrumentos - Guy Durand

Bioética - Alguns desafios - Leo Pessini

Bioética: poder e injustiça - Volnei Garrafa & Leo Pessini

Manual de bioética - Elio Sgreccia

Bioética - Uma Aproximação - Joaquim Clotet

Bioética, novo conceito: a caminho do consenso -François Hubert Lepargneur
 


2 comentários:

Paulo Roberto disse...

Gostei muito do blog. Sou pediatra, estudo teologia para uso em Pastoral em Limeira, SP. Quero fazer pós-graduação em Bioética. Parabens, Paulo Bianchi.

Paulo Roberto disse...

Gostei muito do blog. Sou pediatra, estudo teologia para uso em Pastoral em Limeira, SP. Quero fazer pós-graduação em Bioética. Parabens, Paulo Bianchi.