sábado, 6 de outubro de 2012

Cosmovisão Cristã e Secularismo

Nos dias 3 a 5 de Outubro foi realizada em Curitiba a Conferência Teológica Vida Nova , com o tema : Cosmovisão Cristã e Secularismo. 

Os palestrantes convidados foram Norma Braga Venâncio e Pr. Luiz Sayão.  De forma geral as palestras foram boas, sendo que a primeira no dia 3 foi dada pela Norma Braga, que apresentou um entendimento da cosmovisão cristã como uma antítese do pensamento secular. Alguns pontos que palestrante abordou eu pessoalmente discordo do seu entendimento, principalmente porque ao meu ver distancia a Igreja de um diálogo com a sociedade, porém participo de outros conceitos que foram elaborados na palestra, principalmente com relação ao pouco preparo da Igreja para discutir questões vitais com a sociedade. 

Outro ponto que discordo da palestrante foi seu posicionamento com relação aos pensamentos econômicos, juntando em um mesmo saco a teologia da libertação, comunismo e missão integral. Há em todos estas formas de pensar profundas divergências e, claro, algumas convergências, mas não podemos colocar todas no mesmo nível. Discordo que o capitalismo, da forma como ele se apresenta hoje, seja a melhor opção de vida, creio que podemos construir formas mais harmônicas e cristãs de convivência. 

Nos dois dias seguintes tivemos a presença do Pr. Luiz Sayão que, no dia 4 apresentou de forma didática a história do pensamento secular, ou seja da formação do secularismo. Do meu ponto de vista foi uma excelente apresentação, somente creio que faltou um ponto importante no seu discurso que seria um ponto marcante para a imposição do pensamento secular, que foram as profundas guerras religiosas que sacudiram a Europa e que levaram ao questionamento do pensamento religioso, e do cristianismo como uma foram de vida justa. Mas de forma geral a apresentação do Pr Luiz Sayão foi uma grande aula. 

No Dia 5 Sayão apresentou uma forma de pensar pelo qual deve passar a leitura que nos cristãos fazemos do mundo e principalmente a forma como apresentamos nosso entendimento para a sociedade, e esta forma de pensar passa pela volta a uma teologia bíblica que deve levar em conta a transformação pessoal, como sinal do Senhorio de Cristo e um discurso sobre a verdade de forma humilde. 

De forma geral foram 3 noites que nos levaram a um meditação profunda de como podemos e devemos apresentar a Cristo em uma sociedade profundamente secularizada, diante de uma modernidade líquida e incerta, disposta a aceitar que cada um tem a "sua verdade", fazendo que de fato não haja verdade alguma... 

Este é um grande e profundo desafio para o cristão contemporâneo. 


Nenhum comentário: