terça-feira, 28 de julho de 2015

Livros de Teologia Parte 2

Neste vídeo estarei apresentando rapidamente alguns livros utilizados em Exegese, que constam na minha biblioteca.

São eles:

- Entendes O que Lês?  de Gordon D. Fee & Douglas Stuart; Ed.  Vida Nova, 330 pg.
- Gramática do Grego do Novo Testamento Vol. 1 e Vol. 2 de James Swetnam Ed. Paulus. 450 e 334 pg
- Aprenda o Grego do Novo Testamento de John H Dobson, Ed. CPAD 446, pg
- Novo Testamento Interlinear Grego Portugues - Ed. Sociedade Bíblica do Brasil. 978 pg.

Segue o vídeo:




O Cristão e a manipulação do divino...


Muitas vezes penso que o cristianismo como é elaborado hoje oferece mais dificuldades do que
soluções.
Não oferecemos alternativas ou sugestões para os grandes temas que afetam a humanidade, pouco falamos sobre a fome, exploração, descuido com a natureza, pobreza, política, etc,etc, etc...
Muitos irão alegar : "Mas o que podemos fazer ? somos apenas Igrejas...."
Eu diria, como ainda não fizemos nada sendo Igreja??
Não consigo ver a Igreja de Cristo, como uma entidade "parada", sem ação, olhando a sociedade trilhar seu caminho para a desgraça. Jesus sempre agia, seu exemplo é de ação, de ir ao encontro, de identificação com os problemas e com as pessoas. Assim também acontecia no AT,
quando os profetas, tomados de divina ira, levantavam-se com uma mensagem vinda do Senhor, geralmente uma acusação contra os poderosos e governantes que deveriam conduzir o povo com diligência e justiça, contra o povo que com suas atitudes afastavam-se do correto caminho.
Desta forma na Bíblia sempre vejo uma dualidade de preocupação, o espiritual e o material, nunca um em detrimento do outro, o judeu do AT não tinha esse dualismo de origem grega, que separa o físico do espiritual.
Hoje no entanto, elaboramos uma nova teologia, uma teologia do Deus para mim, criamos um Deus que existe somente para atender os meus desejos materiais, um deus do Hoje, o EU SOU, no sentido de infinito, de futuro, deixa de ser relevante, o mais importante agora é o DEUS É.
O que interessa agora é o Deus qeu eu faço mover com a minha fé, o Deus que dá um
jeitinho... o que importa é o Deus que apesar de eu não estudar "faz com que eu
passe na prova..."
Mas esse deus materialista pode ser facilmente esquecido, basta o progresso econômico atingir as pessoas, basta melhorar as condições de vida e assim teremos cada vez menos necessidade deste deus....
Mas apesar e talvez porcausa disto teremos cada vez mais sede de DEUS, mas talvez por não
termos feito nada e por não agirmos, por não nos importarmos, talvez acabe sendo
tarde de mais....
Hoje creio que a grande ênfase que as igrejas estão dando para os milagres e curas estão diminuindo a verdadeira mensagem do Evangelho. Não necessito mas de Cristo por causa da minha existência humana vazia, afastado de Deus.... Não necessito verdadeiramente de conversão por causa dos meus pecados.... Agora no evangelho pós-moderno necessito de Jesus por causa de seus milagres... Necessito de cura de alguma enfermidade, necessito de um emprego, necessito de mais dinheiro, e as "igrejas" estão vendendo este "Jesus" esse "Deus"... A pouco dias assiti um "culto" pela tv em que um dos "milagres" dados como testemunho é que "Deus" havia desaparecido com os registros da conta devedora do sujeito no banco, ou seja , esse Deus hacker, sumiu com a dívida do sujeito, esse Deus Robin Hood, que tira dos ricos para dar aos pobres...
Do meu ponto de vista esses "milagres" não mostram a grandeza de Deus, eles diminuem a Deus, criam um deus fantoche, um deus pequeno, não é um Deus pessoal, mas um Deus individual e individualista....
O pior é que as "igrejas" estão fatiando esse deus... ao ponto de voltarmos ao conceito de deus regionalista ( do mesmo conceito que tinha os hebreus da antiguidade, que IAHWEH somente operava em terras judaicas....) ao ponto de afirmarem que Deus operava ali naquele local, o "bispo" perguntou se determinada pessoa que já era evangélica de outra denominação tinha sido "abençoada" em outra igreja... como a afirmação foi negativa, veio a frase " tá vendo??? é porque aqui Deus age... aqui Deus opera...". ou seja, na outra não...
É por isso que estou, desde algum tempo, posicionando-me fortemente com relação a estas afirmações, e denominações que se dizem cristãs, não podemos colocar todas as igrejas dentro do mesmo saco... Não é somente citando o nome de Jesus que estas instituições se transformam em verdadeiras igrejas de Cristo.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Literatura teológica parte 1

Estou desenvolvendo um pequeno projeto de vídeos falando um pouco dos meus livros de teologia. O objetivo é passar um pouco da minha impressão sobre estes materiais e apresentar sugestões de aquisição para quem é estudante de teologia, líder eclesiástico ou simplesmente gosta de teologia. Sinta-se a vontade para deixar comentários e sugestões. 

Neste primeiro primeiro vídeo apresento rapidamente 5 livros que estou estudando, listados abaixo:

- Comentário Exegético - Apocalipse.  Autor : Grant R. Osborne, Editora Vida Nova. 
- A Instituição da Religião Cristã.  Autor : João Calvino, Editora Unesp.
- A Igreja na cultura emergente. Cinco pontos de Vista. Org. Leonard Sweet, Ed. Vida.
- História da Teologia Cristã. Autor : Roger Olson, Editora Vida.

Minha Biblioteca de Teologia parte 1

"Às vezes, o acerto doutrinário e teológico tem importado demais. Nos nossos dias, porém, parece que o pêndulo já chegou à extremidade oposta, já que muitos cristãos sabem pouco ou nada a respeito das doutrinas cristãs ou de como e por que se desenvolveram. O cristianismo está correndo o risco de se tornar uma religião folclórica de culto terapêutico e sentimentos pessoais."

 História da Teologia Cristã. Autor : Roger Olson, Editora Vida.  pg. 17

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Sobre a Maioridade Penal.....


Muito tem se falado sobre a questão da maioridade penal, como sempre, não gosto de me manifestar sem pelo menos uma breve reflexão e avaliação de opiniões a respeito, e acho que já tenho uma solidez argumentativa a respeito do assunto. 

Penso que falar sobre maioridade penal é tentar tapar o sol com a peneira, o problema da nossa sociedade é muito mais profundo, e para o qual está ação legislativa não surtirá grande efeito. Comecemos com nosso sistema prisional. Salvo ledo engano deste, trata-se apenas de um local de ajuntamento de pessoas que cometeram crimes, aliás na sua grande maioria com um tremendo excesso de presos, muito além da sua capacidade. O objetivo do sistema penal deveria ser afastar o indivíduo que cometeu crime da sociedade, cumprir a pena da qual o sistema legal o imputou, através de julgamento lícito e ser ressocializado, para que, ao cumprir sua pena possa ser reintegrado à sociedade. Parece que estes objetivos não são alcançados, pelo menos não de todo. Desta forma surge a dúvida, jogar mais criminosos, através da redução da maioridade penal, neste cenário vai resolver? Será que o menor que comete crimes hoje realmente vai ficar temeroso em decorrência do risco de ir par a cadeia? 

Sabe-se que muitas ações envolvendo crimes são imputadas a menores em decorrência da impossibilidade de prisão dos mesmos, cumprindo medidas sócio-educativas, que parecem também não resolverem muito... Eu penso que bandidos que hoje andam com menores de 16 ou 17 anos, para assumirem a "encrenca," passariam a andar com menores de 15 ou 14... maioridade para 14? menores de 13 ou 12... e assim vai....

Creio que vivemos um problema estrutural da sociedade que está assentada no capitalismo extremado, diria mais, onde o valor do ser foi completamente substituído pelo ter, aliás substituído não é bem o termo na verdade ser é ter. O indivíduo é alguém quando ele consegue demonstrar para a sociedade ( ou para o grupo) aquilo que ele tem, assim ter um tênis de marca, ou um celular ultimo tipo te coloca como alguém importante, alguém que conseguiu... este conceito está extremamente arraigado em nossa forma de viver moderna. Não pretendo discorrer aqui longamente sobre este assunto, mas apenas tocar em um dos pontos que contribuem para a selvageria moderna...Enquanto não tivermos um sistema penal que seja de fato correcional, enquanto não tivermos um sistema educacional que seja eficiente e centrado em valores, enquanto tivermos uma sociedade que valorize extremamente mais a aparência do que a essência, estaremos discutindo bobagens que não servem para nada...