terça-feira, 21 de abril de 2009

Redenção da Vida


O nosso olhar para Cristo sempre foi limitado, normalmente colocamos ou encaramos Cristo como aquele que restaurou o homem. Quando olhamos a obra de Cristo pelo parâmetro do homem condicionamos e limitamos a sua ação ao bem único e exclusivo do homem e sua salvação.

Este olhar apenas para o homem esquece que o ser humano não é auto-suficiente, e não o é, nem com a obra de Cristo.


Cabe-nos então um olhar mais profundo e amplo: “A obra de Cristo é para restaurar a vida, e o ser humano está ai incluído como participante da vida e agente que dá significado á vida.
Neste sentido o olhar significante do homem é que foi redimido, i.e., passamos a olhar, e entender a vida pelo prisma do novo homem.

Com esse entendimento podemos compreender que somos então agentes que dá significado para a natureza e assim somos chamados a agir.


Está salvação não visa sair do céu (metaforicamente falando ) para a terra, mas terá que ser gerada inicialmente aqui. Está deve ser a utopia cristã, e é claro que como toda a utopia é parcial e falha, mas é uma direção.

Um comentário:

Calebe Ribeiro disse...

Realemente nossa percepção sobre quem é Deus é menor do que pensamos, e se tratando do Deus infinito então nosso conhecimento sobre Ele é infinitamente menor.