sábado, 21 de novembro de 2009

Brasileiros leem apenas um livro por ano, aponta estudo

País fica atrás da Colômbia em leitura; baixo orçamento reflete na estatística. BRASÍLIA - Um levantamento do Instituto Pró-Livro confirma que o brasileiro lê pouco. São 77 milhões de não leitores, dos quais 21 milhões são analfabetos. Já os leitores, que somam 95 milhões, lêem, em média, 1,3 livro por ano. Incluídas as obras didáticas e pedagógicas, o número sobe para 4,7 - ainda assim baixo. Nos Estados Unidos, por exemplo, a população lê, em média, 11 livros por ano. Já os franceses lêem sete livros por ano, enquanto na Colômbia, a média é de 2,4 livros por ano. Os dados, de 2005, são da Câmara Brasileira do Livro (CBL) e do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel), que integram o Instituto Pró-Livro. Veja matéria completa no site do Estadão

Este fato infelizmente já sabemos a muito tempo. Eu doro ler, este ano lí mais de 21 livros e ainda acho pouco, infelizmente a questão tempo é vital... Concordo que o livro é muito caro aqui no Brasil o que contribui para a baixa
quantidade de leituras... mas a falta de interesse é algo que passa de pai para filho, ou de mãe para filhos...

Segue o link do instituto Pró-Livro

domingo, 15 de novembro de 2009

Palavras nunca são vazias.....

Quem se apodera das palavras? Quem interpreta as falas? Quem da o valor e o sentido do que foi um dia dito?

“Conhecer o nome das coisas é, para o pensamento semita, possuí-las e ser senhor delas. Domina-as de-nominando-as” nos diz L. Boff em O destino do homem e do mundo, pg 42.

E este ainda é um grande poder, dar o sentido das palavras constrói a realidade, i.e. a realidade é construída a partir do sentido das palavras.

Em terra de cego.....

A letra da nova música dos Titãs em poucos versos diz muito, sobre os valores da nossa sociedade e infelizmente também sobre muito do que acontece em muitas "igrejas". Sou fã dos Titas desde o começo da banda, letras inteligêntes e humor ácido, não deixe de ouvir a musica no site oficial, segue a letra abaixo :

Acima dos homens, a lei
E acima da lei dos homens
A lei de Deus

Acima dos homens, o céu
E acima do céu dos homens
O nome de Deus

E acima da lei de Deus
O dinheiro!

Que mata, salva, compra amor verdadeiro
Que suja, limpa, compra amor por inteiro

Amor verdadeiro
Dinheiro, amor por dinheiro!

Letra da canção Amor por Dinheiro (Tony Bellotto / Sérgio Britto ), faixa de abertura do novo trabalho dos Titãs - Sacos Plásticos

Via Pavablog

domingo, 8 de novembro de 2009

Congresso de Bioética - PUCPR

Vamos ao relato da terceira e ultimo dia do congresso de bioética da PUC, estou postando somente agora face a compromissos outros que impediram uma réstia de tempo para que eu pudesse descrever o final deste evento.

As duas ultimas conferências foram de altíssima qualidade, como alias se mostrou o congresso inteiro. Na primeira conferência fomos brindados com a apresentação do Dr. José Eduardo de Siqueira com a explanação magistral e profundamente reflexiva sobre a Bioética e Biotecnociência, apresentando-nos os desenvolvimentos do pensamento ético que fundamentam a bioética e seus relacionamentos com a ciência. Na segunda conferência foi Bioética : Temas críticos na Assistência à criança e Adolescente, onde a abordagem de um tema muito delicado foi tratado de forma profundamente sensível.

Como nota final não posso deixar de felicitar a PUC por esta iniciativa e pelas demais instituições que apoiaram irmanadas este congresso de tão grande importância. Espero que este evento se repita outras vezes para que possamos criar realmente um fórum de discussões e aprimoramento no pensar bioético, penso que é somente com ações deste nível que consolidaremos valores, pensamentos e ações que transformem este planeta um um lugar em que realmente se valorize a vida e o viver.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Congresso de Bioética - PUCPR

Mais um dia do Congresso de bioética, acabei de chegar, estou desde as 17:00 hrs na PUC, mas valeu a pena. Como havia escrito ontem, hoje tivemos as seguintes palestras ASPECTOS BIOÉTICOS DAS RELAÇÕES ENTRE SAÚDE, EUGENIA E SOCIEDADE com o Dr. José Roberteo Goldim (HCPA) e PESQUISA COM EMBRIÃO, as duas foram ótimas, na pesquisa com embrião tivemos uma explanação de como está o andamento das pesquisas com células troncos e como a legislação atual sobre biosegurança está fundamentada. Pretendo aprofundar este assunto posteriormente com mais tempo uma vez que ainda gera muita polêmica.

Na palestra sobre eugenia o Dr José Goldim apresentou a formação e evolução da questão do conceito de eugenia na história e suas conseqüências, contrapondo ao risco que estamos vivendo de voltarmos a usar alguns parâmetros genéticos para "escolhas" de padrões desejados de pessoas.

Por fim quando os temas foram abertos aos debates a polêmica da definição e conceituação do início da vida veio a tona, e é claro que não se chegou a nenhuma definição, mas o que ficou absolutamente claro para mim é que não podemos definir o conceito de vida apenas pelo prisma de um segmento da sociedade, isto é, a biologia não pode se arrogar como definidora do que é a vida baseada apenas em parâmetros biológicos, acha vista o ser humano não ser apenas um ente biológico. Mas isso também é tema para um aprofundamento posterior.

A tarde assisti o painel sobre aborto, onde apresentaram o tema pelo seu prisma A Dra. Professora de Direito Maria da Glória Colucci (UNICURITIBA) e o Teólogo Doutorando Waldir Souza (PUCPR) , infelizmente não pudemos contar com a presença do Médico Dr. Rui Piloto (UFPR). O painel foi muito estigante, principalmente os tópicos relacionado a questão da saude da mulher e o aborto clandestino levantado pela Dra. Maria, porém achei que a fala do Sr. Waldir nos aspectos relacionados a teologia ficou um pouco a desejar e sua abordagem passou um pouco ao largo das questões fundamentas relacionadas ao aborto.

Amanhã teremos outras duas conferências muito importantes:

BIOÉTICA E BIOTECNOCIÊNCIA conferencista: Dr. José Eduardo de Siqueira (UEL/Londrina)

BIOÉTICA: TEMAS CRÍTICOS NA ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E ADOLESCENTE
Conferencista: Dr. Luiz Antonio Munhoz da Cunha

Amanhã posto minhas impressões.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Congresso de Bioética - PUCPR

Iniciou hoje o Congresso de Bioética da PUC, que conta com a participação e colaboração de várias faculdades e da UFPR. A conferência de abertura foi com o Dr. Volnei Garrafa da UNB esplanando sobre o panorama atual da Bioética. Falou-nos o Dr. dos parâmetros básicos da Declaração Universal sobre Bioética e Direitos Humanos, salientando a contribuição brasileira para a formação do documento e apresentando um quadro geral do desenvolvimento da bioética no Brasil e na América Latina. A conferência foi de extrema importância inclusive levantando pontos para discussões futuras que ainda merecem um refletir mais aprofundado.

Assim como no congresso de teologia, estavam presentes algumas editoras e não é necessário dizer que aproveitei para rechear minha biblioteca com mais alguns compêndios na área de bioética, ética e teologia. Bolsa cheia e carteira vazia... rsrs.

Amanhã teremos a conferência ASPECTOS BIOÉTICOS DAS RELAÇÕES ENTRE SAÚDE, EUGENIA E SOCIEDADE com o Dr. José Roberteo Goldim (HCPA) e PESQUISA COM EMBRIÃO com a Dra. Mayana Jazedge (USP).

Possivelmente após as conferências relato minhas primeiras impressões.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Leituras XIV


Acabei de ler " O Princípio de todas as coisas" de Hans Kung. Livro fundamental para a construção de um pensamento teológico moderno. Kung faz um diálogo entre as ciências e a teologia demonstrando que não a verdadeiramente a necessidade da supremacia de uma em relação à outra. Percorre as descobertas e teorias mais recentes sobre a astrofísica, as ciências biológicas e psíquicas com profundo entendimento dos mesmos.

Há muito tempo tenho dito aos meus alunos que o pensamento teológico tem que se expandir, para se construir teologia hoje tem que se levar em conta as demais áreas do saber humano, estas devem dialogar com a teologia permanentemente.

A leitura do livro foi extremamente agradável, mas devo reconhecer que sempre gostei de astro-física e os conceitos que Kung apresentou não me eram desconhecidos, mas para quem não está familiarizado com termos como singularidade, radiação de fundo, buracos negros, teoria das cordas, etc... vai ter que ser paciente, mas a leitura vale muito a pena.