terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Leituras 8

Acabei de ler O Sagrado de Rudolf Otto, 224 pg. Já fazia algum tempo que desejava terminar sua leitura, havia começado como parte de minha pesquisa para tese de mestrado. O mestrado ficou para mais tarde e a leitura parada, mas agora terminei. Não é uma leitura fácil, tem de ser feita com calma, absorver seu conceitos. Rudolf nos faz pensar, principalmente hoje em que o Sagrado está tão vilipendiado, a noção e a experiência do numinoso e do tremendum estejam tão fragilizadas, substituidas pela visão de uma religião utilitarista e de um Deus serviçal.

Nenhum comentário: