sábado, 11 de setembro de 2010

A responsabilidade da bioética

  A Bioética deve se preocupar com os aspectos éticos e sociais do desenvolvimento das ciências, com os impactos total que pode haver, não somente no desenvolvimento de produtos, mas também com experimentos de ponta. Não deve ter outra preocupação a não ser a manutenção da dignidade da vida em seus aspectos mais amplos. Deve trazer para a ciência cartesiana, fragmentada, o alerta para conseqüências globais e futuras das ações presentes.

 Apesar de ser a filha mais nova dos saberes, cabe a esta a tutela das ciências a muito estabelecidas e que estão contaminadas com o "tudo posso" e a velocidade do pós-modernismo, aspectos estes incompatíveis para um meditar profundo sobre os aspectos da realidade e as inferências que realizamos nesta. 

Cabe à Bioética  exigir o tempo para a reflexão antes da aplicação. Cabe a Bioética também dizer Não!, apesar de podermos NÃO devemos.

2 comentários:

Márcia Ditzel disse...

Pois olha colega, a questão bioética no geral, entre os cristãos, está tão esquecida que até parece uma capa deixada em cima da cadeira criando ácaros. E quando tentamos mostrar a validade de sua ação no cotidiano reflexivo, o retorno é de dar sono.

Roberto Rohregger disse...

Infelizmente o que você disse é verdade.... Os cristãos estão ficando cada vez menos reflexivos (aliás as pessoas de modo geral...). Quando nos deparamos com questões que exigem um meditar mais profundo, longe de respostas pré-formatas, encontramos grandes dificuldades....