sábado, 11 de junho de 2011

Leituras


Comecei a ler O Primeiro Homem, de Albert Camus, 198pg, Ed. Nova Fronteira. Livro editado a partir dos manuscritos do autor após sua prematura morte em acidente automobilístico. Apesar de estar no início do livro a parte final que apresenta uma breve correspondência do autor com seu antigo professor chamou-me a atenção. Como professor este texto proporcionou-me muitas reflexões. O reconhecimento do ganhador do prêmio Nobel de literatura ao seu professor da infância. Reproduzo o texto abaixo:




19 de novembro, 1957

Caro Monsieur Germain,

Deixei que passasse um pouco o movimento que me envolveu todos esses dias antes de vir falar-lhe de coração aberto. Acaba de me ser feita uma grande honra que não busquei, nem solicitei. Mas quando eu soube da novidade, meu primeiro pensamento, depois de minha mãe, foi para você. Sem você, sem essa mão afetuosa que voc~e estendeu ao menino pobre que eu era, sem seu ensino, sem seu exemplo, nada disso teria acontecido. Eu não faço questão dessa espécie de honra. Mas essa é ao menos uma ocasião para dizer-lhe o que você foi e é sempre para mim, e para assegurar-lhe que os seus esforços, o seu trabalho e  o coração generoso que você coloca em tudo que faz, sempre de maneira viva com relação a um de seus pequenos discípulos que, não obstante a idade, não cessou jamais de ser seu aluno reconhecido. Eu o abraço com todas as minhas forças. 

Albert Camus

Creio ser esse o desejo de todo o professor que encara sua profissão como missão.  Transfomar. 

Nenhum comentário: