segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Reflexões para uma bioética cristã.

Abaixo alguns pequenos trechos do livro A sua imagem e semelhança – O início da vida e o aborto, Reflexões para uma bioética cristã.  Lançamento em Breve. 



“O fato de uma pessoa ter que tomar uma decisão deve ser vista, não somente a partir de sua situação atual, mas de uma perspectiva mais ampla que leve em conta a sua ação moral na linha do tempo e os reflexos em si e no em torno. Uma vez que esta decisão terá reflexos por toda a sua vida em tratando-se da sua emocionalidade e saúde mental.(...)”


“Baseados em uma compreensão de quando se inicia a vida e a partir de quando podemos
 falar do ser enquanto pessoa, e desta forma portadora de direitos inerentes a sua condição, o aborto torna-se um problema, em todas as suas formas, que não diz respeito apenas à mulher, apesar do seu corpo ser a mantenedora da vida em gestação, porém ao mesmo tempo em que o feto necessita do corpo da progenitora, não é parte extensiva deste (...)”


Para muitos bioeticistas, falar em uma bioética cristã pode parecer algo completamente herético, e causar calafrios, até  pela sua tentativa de ser abrangente e não segmentada. Porém mantenho aqui este termo para identificar, não uma bioética fragmentada ou que deseja se impor, mas como portadora de uma linha que deseja dialogar com outras linhas da bioética contribuindo para a construção então de uma bioética universalista (...)”






Nenhum comentário: