sábado, 23 de abril de 2011

Estudos em Efésios - I

Anotações e Estudos sobre a carta de Paulo aos Efésios.

Estarei a medida do possível dedicando algum tempo a um estudo um pouco mais aprofundado sobre a epístola aos Efésios. A medida que for concluindo algum material estarei disponibilizando aqui no blog na tag Estudos Efésios.


1



Paulo apóstolo (de) Cristo Jesus por vontade de Deus (...)

Neste início da carta temos a saudação de Paulo e sua identificação Paulo apóstolo... , mas qual o significado deste termo apóstolo? O que Paulo desejava comunicar com esta qualificação e melhor o que seus destinatários entenderiam com relação a esta afirmação?
Cabe aqui procurarmos entender um pouco melhor este termo. 

Segundo o Dicionário internacional de Teologia do Novo Testamento[2] o significado clássico para apóstolo tem o sentido de :
 “(...) o emissário tem plenos poderes e é representante pessoal de quem o enviou, estabvelece-se uma conexão entre quem envia e quem enviou. “

OBS. Pessoal ;  Neste sentido envia com autoridade.

Também parece ter alguma relevância nos escritos do AT e na LXX como função de representante ou procurador. Porém o termo no AT não significa uma função contínua, importante em si mesma, mas sim o exercício de uma atividade limitada ao seu escopo e duração por comissão específica e que termina ao ser completada a atividade.

Salientamos o seguinte aspecto com respeito a àquilo que Paulo entendia pelo ofício de apóstolo:

à Vocação e comissionamento para serviço como apóstolo durante a vida interia, não através da autoridade de homens, “mas por Jesus Cristo, e por Deus Pai.” (GL 1:1, cf. Rm. 1.5; 1Cor 1:1, 2Cor 1.1). Ocorre através de um encontro com o Senhor, ressurrecto (1Cor 15:7, Gl 1:12). O apóstolo entrega o envangelho aos homens como embaixador de Cristo. (1Cor 5:20)

OBS. Pessoal : Neste sentido podemos entender que quando Paulo se identifica como Apóstolo se coloca então como embaixador de Cristo para entregar o Evangelho, é enviado especificamente para este fim logos sua autoridade é a partir de Cristo.  É assim não por seu desejo, mas por vontade de Deus.
A partir deste entendimento fica difícil justificar o título de apóstolo, como usado hoje em dia.Nota-se que o termo apóstolo tem uma função específica e um comissionamento direto, isto é sua função é levar (enviar para fora) a mensagem do evangelho que foi recebida diretamente de Cristo. Nota-se na história da igreja que o título de apóstolo não foi “repassado” para ninguém após Paulo.




[1]Novo Testamento Grego: Textus Receptus (1550/1894). 1550; 2007 (Ef 1:1). Sociedade Bíblica do Brasil.
[2] Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento; COENEN, Lothar; BROW, Colin; Ed. Vida Nova.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Angela GHEORGHIU - Habanera - Carmen - Bizet

Na minha opinião uma das mais belas árias de Carmen, quiçá de todo Belo Canto.

Cristianismo....

" O Cristianismo tem, portanto, a oportunidade de dizer claramente que a resposta por ele oferecida possui exatamente aquilo que o homem moderno perdeu: a unidade do pensamento. O cristianismo tem uma resposta unificada para a vida como um todo. É verdade que o homem terá que abrir mão do seu racionalismo, porém terá a possibilidade de recuperar a racionalidade. "

Schaeffer, Francis; Trilogy - Leicester, Inter-Varsity Press, 1990; p. 262-3

Relacionamento com Deus.....

Buscar um relacionamento com Deus através da oração é necessariamente entregar-me a Ele da forma mais sincera e simples possível. E este se entregar exige momentos de falar e momentos de calar, muitas vezes esquecemos da grande importância de calar-nos diante de Deus, buscando apenas senti-lo, deixar com que ele trabalhe tudo aquilo que eu não tenho condição sequer de expressar, aquilo que não tenho condições de confessar porque até eu não sei até que ponto pode chegar a “escuridão da minha alma”.

Simplicidade e sinceridade, estas são as atitudes chaves para achegar-se à Deus. Jesus ensinou-nos a orarmos em oculto, e basta pensarmos o quanto consigo ser sincero com Deus em uma oração “pública”.

A oração é um elemento terapêutico para a alma humana, a oração permite desnudar-me e conseqüentemente conhecer-me mais.

A oração em momentos de crise faz com que nos desnudemos perante Deus, não que Ele não nos visse da forma como estamos, mas principalmente porque nós necessitamos  enxergar da forma que estamos. 

Fragmento do Livro  "Relacionamento com Deus - A busca por um contato com Deus em todas as esferas da vida." -  a ser publicado em breve. 

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Leituras


Dostoiévski é de longe um dos meus autores preferidos, se não o preferido, e volte e meia tenho um surto dostoiévskiano, ou seja desando a lê-lo. Bem este surto chegou novamente e após Gente Pobre, li Duas Narrativas Fantásticas -  A Dócil e O Sonho de Um Homem Ridículo 123 pg , claro da excelente editora 34, que publicou traduções fantásticas. Aliás um fato que é pouco reconhecido infelizmente é o trabalho primoroso de alguns tradutores, e os que estou lendo são de tirar o chapéu. Para quem desejar aprofundar-se na alma deste fantástico escritor recomendo os livros de Dostoiévski da Coleção Leste, editora 34.   

Congressos....


Ética, Técnica e Natureza : IX Congresso de Filosofia Contemporânea da PUCPR e II Colóquio Nacional Hans Jonas

O IX Congresso Nacional de Filosofia Contemporânea da Pontifícia Universidade Católica do Paraná é um evento realizado anualmente pelo programa de pós-graduação (Mestrado) em Filosofia e pelo Curso de Licenciatura em Filosofia da PUCPR. Nesse ano será realizado concomitantemente o II Colóquio Nacional Hans Jonas, visando potencializar as discussões e fomentar o interesse em torno da filosofia jonasiana e a articulação dos pesquisadores e estudantes. O evento será realizado no Auditório Alceu Amoroso Lima, do Centro de Teologia e Ciências Humanas, do campus Curitiba, da PUCPR. Além disso, uma das conferências será realizada no Auditório do campus Curitiba da UTFPr.


Já fiz minha inscrição para o congresso de Filosofia Contemporânea e para o X Congresso de Teologia.

Recomendo ambos. 

sábado, 9 de abril de 2011

Leituras 2011

Acabei de ler Gente Pobre, de Fiódor Dostoiévski, 183 pg. em soberba edição da Editora 34, Coleção Leste. Trata-se do primeiro romance de Dostoiévski, escrito de forma epistolar. Uma obra soberba, demostrando desde o início que fantástico escritor tornar-se-ia. Recomendo. 



terça-feira, 5 de abril de 2011

Tá ficando difícil.....Revelado o dia, mês e ano do julgamento final....



Primazia da exegese, o senhor acima sabe a data do arrebatamento... não entendi bem como ele obteve esta fantástica revelação.... talvez informação privilegiada.... uma vez que Jesus disse que esse dia somente o Pai sabia....
Normalmente as profetadas são datas  com um prazo maior, pra valorizar.... por exemplo prever o fim para fevereiro de 2020... até lá ninguém lembra mais  e o profeta pode dar outra profetada... rsrsr... bem vamos esperar.... tá mais perto do que o calendário maia afirmava rsrss...

http://www.youtube.com/watch?v=Wc5B4T3_0aI&feature=player_embedded

Quer saber mais sobre essas fantásticas revelaçõe??? visite o site http://worldwide.familyradio.org/pt/, inclusive lá tem um texto que diz que as pessoas que estão em igrejas não serão salvas....Leia o texto "Ninguem sabe o dia ou a hora?"

Máquinas auto-conciêntes.... um futuro não tão distante.....

Via Inovação Tecnológica

Robô dá primeiros sinais de consciência

Com informações da New Scientist - 04/04/2011
Robô dá primeiros sinais de consciência
O agente de software LIDA conseguiu pela primeira vez completar testes padronizados de avaliação do estado de alerta, ou estado de consciência, no mesmo tempo gasto por humanos. [Imagem: Nevit Dilmen/Wikimedia]
Consciência robótica
Ela ainda não é um robô no sentido comum do termo, porque ainda não tem um corpo.
Mas é o que mais aproxima até hoje daquilo que se poderia chamar de uma "mente robótica".
O programa, projetado para ser usado para animar um robô, conseguiu pela primeira vez completar testes padronizados de avaliação do estado de alerta, ou estado de consciência, no mesmo tempo gasto por humanos.
O nome dessa "consciência robótica" é LIDA, uma sigla para Learning Intelligent Distribution Agent, agente de distribuição inteligente do aprendizado, em tradução livre.
LIDA é filha de Stan Franklin, da Universidade de Memphis, com uma "participação especial" de Bernard Baars, do Instituto de Neurociências de San Diego e Tamas Madl, filósofo da Universidade de Viena, na Áustria.
Funcionamento da mente
O programa foi inspirado por uma teoria bem estabelecida sobre a consciência humana, chamada "Teoria do Espaço de Trabalho Global" (TAG) - ou GWT, sigla do inglês Global Workspace Theory.
Segundo a TAG, o processamento inconsciente - a captura e processamento de imagens e sons, por exemplo - é feito por regiões diferentes e autônomas do cérebro, trabalhando paralelamente.
Nós apenas nos tornaríamos conscientes da informação quando ela é considerada importante o suficiente para ser "transmitida" para o ambiente de trabalho global, uma rede de neurônios interconectados que se espalha por todo o cérebro.
Quem decide o que é importante para ser transmitido a teoria não diz, mas ela afirma que aquilo que experimentamos como consciência é justamente essa "transmissão", que permite que as informações sejam compartilhadas por diferentes áreas do cérebro.
Vários experimentos, usando eletrodos para detectar a atividade cerebral, têm dado suporte a essa noção de difusão das informações pelo cérebro como base da consciência, embora como exatamente a teoria se traduziria em cognição e experiência consciente seja algo ainda longe de estar claro.
Mente robótica
O professor Stan Franklin e seus colegas implementaram a teoria em um programa voltado para o controle de um robô, "enriquecendo" as bases da TAG com hipóteses sobre como esses processos de difusão da informação no cérebro se coordenam.
O resultado foi a mente robótica LIDA, que Franklin acredita ser uma reconstrução do processo de cognição do cérebro humano.
LIDA é uma "mente artificial" inteiramente gerada por software, ao contrário deexperimentos de inteligência artificial que procuram replicar os próprios neurônios ou até construir um cérebro em um chip.
O funcionamento de LIDA baseia-se na hipótese de que a consciência é composta de uma série de ciclos, com duração de poucos milissegundos, e cada um subdividido em estágios inconscientes e conscientes.
Entretanto, só porque esses ciclos cognitivos são consistentes com algumas características da consciência humana, como os experimentos demonstram, isso não significa que é assim que a mente humana trabalha.
Foi por isso que os cientistas resolveram colocar a mente robótica para competir com mentes humanas.
Robô dá primeiros sinais de consciência
Os pesquisadores defendem que seu agente de software LIDA tem "consciência funcional", diferente da "consciência fenomênica" apresentada pelos humanos. [Imagem: Gengiskanhg/Wikimedia]
Robô versus humano
Para melhorar as bases da comparação, os pesquisadores determinaram que as temporizações usadas nos ciclos de LIDA seriam os mesmos observados em dados neurológicos de humanos.
Por exemplo, os detectores de dados sensoriais do programa checam as informações a cada 30 milissegundos, o tempo que o cérebro humano leva para fazer uma associação entre uma imagem e uma categoria textual.
A mente robótica foi submetida a dois "testes de consciência".
O primeiro consiste em uma versão do teste do tempo de reação, em que alguém deve apertar um botão sempre que uma luz verde à sua frente se acender. LIDA levou cerca de 280 milissegundos para apertar seu botão virtual depois que a luz se acendeu, enquanto um humano médio leva cerca de 200 milissegundos.
O segundo teste usa uma barra horizontal piscante que aparece na base de uma tela e então se move para cima ao longo de 12 posições. Quando a velocidade de subida da barra é lenta, as pessoas veem a linha em movimento. Quando a velocidade é alta, as pessoas enxergam 12 linhas piscantes.
Quando os pesquisadores criaram um teste semelhante para LIDA, eles descobriram que, em altas velocidades, ela também falha na percepção de que a linha está se movendo. A velocidade da ilusão de óptica robótica é comparável à dos humanos.
Robô consciente?
Mas isto significa que a mente robótica LIDA seja consciente?
"Eu digo que LIDA é funcionalmente consciente," diz Franklin, porque ela usa a difusão dos inputs para guiar suas ações e seu aprendizado.
O pesquisador estabelece uma demarcação clara entre essa consciência funcional e a chamada "consciência fenomênica", ou "consciência fenomenológica", não atribuindo à sua mente robótica uma capacidade de subjetividade.
Mas ele afirma que não há, em princípio, nenhuma razão que impeça que LIDA se torne totalmente consciente um dia: "A arquitetura poderá servir de base para a consciência fenomênica, apenas precisamos descobrir como trazê-la à tona."
Pode um computador se tornar consciente?
Se o pesquisador estiver correto, e se a teoria tiver um poder explicativo do funcionamento da mente humana suficiente para embasar a criação de uma mente artificial, resta uma questão de largo alcance:
Em que ponto um modelo de consciência pode ele próprio tornar-se consciente? - Se é que pode.
Antonio Chella, um roboticista da Universidade de Palermo, na Itália, afirma que, antes que se possa atribuir consciência a um agente de software como LIDA, ela vai precisar de um corpo.
"A consciência de nós mesmos, e do mundo, é baseada em uma contínua interação entre nosso cérebro, nosso corpo e o mundo," diz ele. "Estou curioso para ver um robô LIDA."
Já Murray Shanahan, também roboticista, da Imperial College London, discorda, e diz que um corpo robótico não é necessário. "Somente faz sentido começar a falar sobre consciência no contexto de algo que interage de forma intencional com um ambiente espaço-temporal," diz ele. "Mas eu fico totalmente satisfeito com uma interação com um ambiente virtual."
Franklin, criador de LIDA, afirma estar planejando construir uma versão da consciência robótica capaz de interagir com humanos, provavelmente de forma virtual - sem um corpo robótico.
"Quando isto acontecer, eu ficarei tentado a atribuir consciência fenomênica ao agente," afirma ele.
Objetividade e subjetividade
O problema é que, mesmo que LIDA consiga um dia ter experiências subjetivas, como poderemos provar isto?
Não existem testes objetivos da subjetividade: não há como provar objetivamente, por exemplo, que cada um de nós não é o único ser consciente de si mesmo em um mundo de zumbis.
"Os filósofos veem lidando com isto por mais de 2.000 anos," diz Franklin. Para ele, talvez só possamos admitir que os computadores tenham subjetividade quando eles se tornarem suficientemente inteligentes e comunicativos.
Além de todo um campo de estudos sobre os direitos dos robôs, quando isto eventualmente acontecer restará também a questão se as inteligências artificiais serão capazes de evoluir.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

X Congresso de Teologia da PUCPR . Inscrições estão abertas

Evento aborda o tema “Teologia, Gênero e expressões: Para onde caminhamos?”

As inscrições para o X Congresso de Teologia da PUCPR estão abertas. O evento acontece de 3 a 5 de outubro e irá abordar o tema “Teologia, Gênero e expressões: Para onde caminhamos?”.  O objetivo é debater as questões de gênero na perspectiva da literatura atual e suas variadas abordagens.  O Congresso de 2011 sugere uma discussão de gênero em três eixos articulados com algumas das mais significativas experiências dos sujeitos contemporâneos: teológico, político e estético. Nesse sentido, o debate enfoca os diversos contextos, acolhendo propostas organizadas em dez grupos temáticos. 

  • Arte e Subjetividade
  • Bioética e Vulnerabilidade
  • Corpo, Saúde e Sexualidade
  • Famílias contemporâneas
  • História e Identidades
  • Interculturalidade e Mídia
  • Pastoral e Espiritualidade
  • Religião e Educação
  • Sagrada Escritura
  • Gênero, violência e HIV/AIDS
Serviço
X Congresso de Teologia da PUCPR

Inscrições: até 10 de setembro na seção Teologia do site.  
Data: 3 a 5 de outubro 
Horário: 15h30
Local: Auditório Alceu Amoroso Lima – CTCH – PUCPR/ Câmpus Curitiba
Informações: clelia.peretti@pucpr.br ou 3271-2102 / 3272 -1359

fraternitati libertatis

"Os motivos do assassínio de Jesus são de dupla ordem, ambas alcançando o nível estrutural. Foi condenado primeiro como blasfemo, por apresentar um Deus diferente daquele do status quo religioso: "Jesus desmascarou a hipocrisia religiosa, que consiste em considerar o mistério de Deus como álibi para não ouvir a exigência da justiça. Nesse sentido os poderes religiosos captaram corretamente que Jesus pregava um Deus oposto ao deles".
Como se depreende, sua atitude foi eminentemente libertadora e em função dela foi rechaçado. Em face das autoridades políticas morre sob a acusação de guerrilheiro. A pregação e suas atitudes colocam perto do projeto libertador zelote; sua espera de um advento do Reino, seu radicalismo, algumas de suas afirmações sobre a liberdade diante do poder imperial estabelecido, seu ascendente sobre o povo que deseja fazê-lo lider. Por outro lado, jesus se afasta de todo espírito zelote por renunciar ao messianismo político-religioso,  baseado no poder, incapaz de concretizar o Reino, que supõe uma libertação mais radical abarcando tudo, superando a quebra de fraternidade e postulando um novo homem. " 

Boff, Leonardo in, Jesus Cristo Libertador, pg 33  - Ed. Vozes; 20ª Edição. 

A bioética no dia a dia, casal rejeita uma das filhas de inseminação artificial

Pessoalmente, por convicções filosóficas e teológicas sou contra a inseminação artificial, sendo este procedimento por sí só objeto de discussão em bioética. Não bastando isso, ocorre o fato noticiado amplamente (para ler a matéria sobre o fato clique AQUI ) sobre o casal que ao descobri que o resultado da inseminação seriam trigêmeas, optam por escolher apenas duas entre as três, como diz a matéria do jornal :

"O casal fez tratamento em uma clínica de reprodução assistida de Curitiba. Eles queriam duas filhas, mas, antes do nascimento, foram avisados pelo médico responsável pelo tratamento que nasceriam três bebês. Na maternidade, o pai teria escolhido as meninas mais saudáveis e tentou abandonar uma das recém-nascidas, com problemas respiratórios."


É fato notório que a inseminação artificial pode gerar uma quantidade de filhos a mais que o desejado, haja visto que o método para ser mais eficaz possibilita que vários óvulos sejam fertilizados e posteriormente gestados... Agora a escolha dentre destes dos quais serão criados ou até quais deles devem completarem a gestação baseada em fatores de saúde ou genético incorre em pratica de eugenia.

A legislação não permite sequer a escolha de sexo, mas em alguns casos sabe-se que isso existe, principalmente em escândalo recente de um famoso médico dono de clinica altamente conceituada.

A justiça tirou dos pais os bebês  e agora criou-se um impasse, com quem ficará os bebês? com os avós ? Para adoção? devolvido aos pais? terão condições de criá-los? E se no futuro, quando estas crianças estiverem maior e, eventualmente este ocorrido acabe sendo do conhecimento delas, como será a reação delas? como está a estrutura familiar depois deste escândalo? E se as trigêmeas tivessem nascido inseminação natural, passaria pela cabeça do pai descartar uma delas? Será que pelo fato de passar por um procedimento caro e artificial o pai sentiu-se como em um mercado escolhendo as melhores opções? 

Não estou fazendo aqui nenhum juizo sobre o ocorrido, as variáveis são muitas, mas apenas discorrendo sobre questões que se impõe para a bioética e sobre questões tão fundamentais da vida humana.

domingo, 3 de abril de 2011

Revista Nature Climate Change

Está disponível na web o primeiro numero da revista Nature Climate Change, que tem por objetivo apresentar textos de pesquisadores sobre a mudança climática e suas conseqüências. Já que não podemos reverter o processo ao qual chegamos, pelo menos podemos tentar amenizar seus efeitos e tentar compreender suas conseqüências.... Disponível no site http://www.nature.com/nclimate/index.html

sábado, 2 de abril de 2011

Cristianismo puro e simples....

Quero um Cristianismo livre dos pesos e julgos, um cristianismo que siga o que Jesus ensinou, que demonstre o amor e a misericórdia que Deus tem por nós, um cristianismo sem acusações, sem falso moralismo, um cristianismo formado por pessoas imperfeitas, falhas e dependentes do amor de Deus, e acho que é isso que Deus quer também.



http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=KW7CD29V4tU#at=322