sexta-feira, 18 de maio de 2007

O Fim da Inocência.

Houve uma época em minha vida formada de certezas, minha busca intelectual era pautada por literaturas absolutistas, afirmações taxativas, o mundo era branco ou preto, 0 ou 1 não havia espaço para dúvidas, meio termos, incertezas, talvez como produto do modernismo, tinha paixão por ciências exatas e crenças nas afirmações de grandes pensadores

É um tempo que lembro com uma certa saudade, onde o lugar para o cinza, o meio termo, o talvez não existia. Isso representava uma segurança, confiança de que não necessitava me questionar, poderia defender um ponto de vista e pronto.... Poderia chamar de uma época de inocência, mas com o passar do tempo, percebemos que por incrível que pareça não sabemos de tudo, não estamos sempre com a razão, cometemos erros, não somos donos da verdade... e pior aqueles em que nos apoiavam também não deram a ultima palavra, foram questionados, cometeram erros.... Aquilo que muitas vezes chamamos de realidade, não corresponde ao que vemos e que a grande maioria das afirmações ficam agora naquela região cinza, nublada, as certezas já não são tão simples, a realidade ficou complexa.

Hoje quando recebemos uma informação, em qualquer mídia, faz-se necessário questiona-la e questionar-se: que informação é essa? Quem está transmitindo? Quem é a fonte? Qual a ideologia, interesses, conceitos da fonte? Porque está sendo transmitida neste momento? Qual é a minha reação com relação a informação? Qual o meus pré-conceitos com relação a informação? Esta informação pode estar sendo manipulada (de qualquer forma, ênfase em determinada frase que pode destoar do total, imagens manipuladas, interpretação errada?), existe uma contra argumentação? Como esta informação pode alterara minha cosmovisão?

Vivemos em uma época maravilhosa e terrível ao mesmo tempo, a quantidade de informação disponível ao ser humano é fantástico... Tenho acesso a centenas de revistas, jornais, blogs, sites, livros digitais, museus digitais posso expandir minha consciência e inteligência de forma fantástica, ao mesmo tempo posso ser vitima desta variedade de informações, muitas vezes quanto maior a quantidade menor a qualidade, apesar de ter uma gama muito grande de informações, hoje tenho que gastar muito mais tempo no sentido de confronta-las e confirma-las.

Urge conhecermos, mas conhecimento sem sabedoria e inútil, não quero ser manipulado, não quero ser serviçal de sistemas opressores divulgando suas ideologias retrógradas, preconceituosas e irrelevantes, que trabalham para manter o status quo.... É claro que não estou defendendo aqui o relativismo, muito pelo contrário, creio que há verdades, mas somos e vivemos em sociedades mais complexas, múltiplas, realidades em redes... é neste contexto que a verdade tende a ficar manipulável, menos clara....

Jesus ensinou-nos a buscar a verdade, “Conhecereis a verdade, e a verdade os libertará”, quero pedir uma licença exegética para aplicarmos esta frase em todos os aspectos da nossa vida, seja pessoal ou social.

É, o fim da inocência é difícil... Quantas vezes não desejei voltar ao meu mundo simples das certezas fundamentais.... Mas o caminho é sem volta, resta-nos lutarmos para que as realidades voltem a ser mais “reais”, um mundo mais justo, e talvez menos inocente...

Nenhum comentário: