segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Fragmentos... Luz e Sal o viver ético cristão


Cabe a Igreja, como Corpo de Cristo, a salvaguarda de uma ética e moral cristã, mesmo em um mundo pós-cristão, diga-se ainda mais em um mundo pós-cristão. A Igreja tem a responsabilidade para com o mundo, para que haja a oportunidade da apresentação do evangelho. Pode acontecer em um mundo relativizado que a simples pregação das boas novas seja inaudível, pois já não se crê em uma ética universalista. 
Já não estamos praticamente nesta época? 
Talvez a luta do Papa Bento XVI contra o pós-modernismo tenha um pouco deste sentido, porém ele mesmo não relativiza a ética "dentro de casa"?
E nós protestantes pós-modernos, que a tempos deixamos de protestar? 

Nenhum comentário: